27.11.05

"MEDALHA"



Eu nem imagino em que estado este rapaz deve ter o gargalo, ainda hoje. Esta é uma das fotos mais famosas de tsuki que circula na net. Via-a pela primeira vez na contra-capa do número 2 da revista Kendo-World já lá vão uns três anitos ou coisa que o valha. Só de olhar, ainda hoje, me dói.
Isto tudo a propósito do tsuki que o Sérgio me “espetou” ontem no mune-do. É que apesar de me ter acertado numa zona aparentemente bem protegida, tenho cá um “medalhão” negro no meio do peito...
Nota: Se alguém encontrar um site a pedir dinheiro para comprar uma traqueia artificial para o rapaz da foto, digam-me, tá bem?

2 comentários:

Spirit Fighter disse...

Realmente, verdadeiramente impressionante:
a) Pelo desgraçado que está a sofrer a técnica;
b) Pelo "momento" transmitido, a sensação de imutabilidade daquela fracção de segundo;
c) Pela flexibilidade do bamboo. Sinceramente, nunca pensei que um shinai pudesse dobrar tanto sem quebrar. Já agora, será que os de carbono aguentarão tal esforço?

De qualquer forma, e não querendo entrar em matéria de correcções dada a minha relativa pouca experiência em kendo, não será pouco correcto fazer tsukis daquela forma, tão violenta ou, pelo menos, sem um determinado controlo que, caso exixtisse, possivelmente evitaria tal extremismo..?

Usagi-san disse...

Sabes que me parece que esta situação só é possível se o "atacado", o gajo que está a comer o tsuki, se estiver a deslocar a toda a força contra o atacante. Não estou a ver um ataque tsuki "normal", por muito forte que fosse, fazer semelhante arco nas ripas de bambú.
Os shinais de carbono, segundo seu fabricante a Hasegawa Corp., são ainda mais flexíveis que os de bambú.
Mas a foto é do caraças, não é?